Header Ads

O guia Pottermore para fantasmas.

Harry Potter e a Pedra Filosofal nos apresentou aos fantasmas de Hogwarts, mas fantasmas, claro, não estão confinados aos halls e passagens secretas de escolas bruxas. Então como eles se tornaram uma parte essencial do nosso folclore?


Essa citação melancólica de Nick Quase-Sem-Cabeça resume bem o destino de um fantasma bruxo.

Eu tinha medo da morte, disse Nick suavemente. Escolhi ficar para trás. Às vezes me pergunto se eu não deveria ter... bem, é que não estou nem lá nem cá...de fato não estou aqui nem lá... Ele deu um risadinha triste. Eu não sei nada dos segredos da morte, Harry, porque escolhi essa débil imitação da vida.
Harry Potter e a Ordem da Fênix

Como a definição de Nick do que significa ser um fantasma se aplica a outras definições dos não-vivos na ficção?

Fantasmas normalmente voltam por causa de assuntos inacabados

A estranha vida meio-humana de um fantasma não é única do mundo bruxo. O conceito de alguém voltando como fantasma está enraizado na crença de que o espírito existe independentemente do corpo. Variações em cultura e religião à parte, no mundo antigo muitas pessoas acreditavam em alguma forma de vida após a morte. Como aquela pós-vida era formada poderia ser determinada por como um indivíduo vivia, como eles eram arranjados após a morte e como eram lembrados. Isso é parcialmente a razão porque ritos funerários se desenvolveram porque um enterro impróprio era visto como um motivo que os mortos pudessem retornar. Todas as culturas tendem a concordar em uma explicação para a existência de fantasmas: negócios inacabados. Seja vingar um assassinato ou para atender algum outro desejo, aqueles que voltam como fantasmas normalmente o fazem para terminar algum negócio. O único negócio inacabado do professor de Hogwarts Binns era a lição de casa do dia seguinte mas a Murta que Geme expressamente para assombrar sua atormentadora.


Um dos primeiros exemplos de um fantasma vem da Bíblia

Uma das primeiras aparições de fantasmas vem da Bíblia. No primeiro livro de Samuel, Saul, Rei de Israel, visita um médium. Ele a pede para conjurar o falecido profeta Samuel, que aparece como "um velho vestindo um manto". Dizem que isso inspirou a imagem de um fantasma branco, basculante como as pessoas vestidas com lençóis brancos pregando peças no Halloween. A palavra "ghost" (fantasma em inglês) tem sido usada desde o final do século XVI, embora venha da palavra do inglês antigo "gast", que tinha suas raízes no oeste da Alemanha. Medo de fantasmas já tem uma longa história. Mesmo quando o fantasma em questão era amado em vida, sua reaparição raramente é bem-vinda. Antigamente, para os mortos voltarem à vida era um sinal que havia algo errado.Isso vem dos contos mais antigos e influenciou tudo, desde histórias vitorianas de fantasmas a filmes modernos de terror.

Fantasmas nem sempre são assustadores, apenas quando tem motivo para ser

Esse medo vem do fato de que existam fantasmas benevolentes assim como maléficos. Em Hogwarts, a maioria não deseja nenhum mal aos vivos. Eles podem ser quietos e tristes, como a Dama Cinzenta da Corvinal mas nem todos são rancorosos e vingativos. No folclore, fantasmas perigosas normalmente são aqueles cujo negócio inacabado está conectado a algo violento. Eles estão com raiva por estarem mortos, em contraste aos fantasmas mais emocionalmente neutros que voltaram por razões mais benignas. Ainda assim, recebendo uma visita de qualquer outro fantasma não é motivo de comemoração.


A aparência dos fantasmas podem depender de acordo com as circunstâncias

Como a natureza de um fantasma segue o que aconteceu com ele durante a vida e na morte, também afeta sua aparência. Embora um fantasma seja por definição um espírito separado de um corpo, a maioria dos fantasmas normalmente parecem versões pálidas, translúcidas versões de seus eus pré-morte. Eles podem carregar lembretes de suas vidas ou do jeito de sua morte, como o Barão Sangrento da Sonserina, que nós aprendemos em Harry Potter e as Relíquias da Morte, retornou ao mundo como um fantasma carregando correntes, como um ato de penitência pelo assassinato de Helena Ravenclaw.

Fantasmas tendem a assombrar lugares específicos

A maioria dos mitos nos contam que temos mais chances de sentir a presença de fantasmas em um lugar que significava algo para eles em vida, ou é associado à morte deles, por exemplo o lugar que uma pessoa assassinada volta para procurar vingança ou o local de um trágico acidente em que o agora-fantasma morreu. Normalmente são associados com um lugar, ou pelo menos com uma pessoa ou grupo de pessoas. Na cultura popular moderna, a maioria dos fantasmas não viajam muito então os fantasmas de Hogwarts são uma exceção, embora seja justo assumir que a escola tinha um significado para eles em vida.


Mas nem todos os fantasmas querem te assombrar

Os vitorianos inventaram o gênero de histórias de fantasmas mas eles vem aparecendo em histórias de fantasmas há séculos. Desde Samuel a Bíblia ou o fantasma do pai de Hamlet, passando pela Mulher de Preto de Susan Hill e o personagem principal de Amada, de Toni Morrison, eles começaram a ser descritos como assustadores, vingativos e surpreendentes. Há exceções e uma delas vem na forma da famosa história de fantasma Charles Dickens. Um conto de Natal, usou a fascinação vitoriana com todas as coisas espirituais, como seu Ebenezer Scrooge encontra três fantasmas, variando de alegre a aterrorizante. Todos os fantasmas ajudam Scrooge a viajar através do tempo e espaço para ver seu passado, presente e futuro. Então, os fantasmas não são todos ruins. Depende de qual você encontra.


[+] Traduzido do site Pottermore.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.