Header Ads

O top 5 dos pais da saga Harry Potter.

Houve algumas parentalidades seriamente questionáveis rolando no mundo de Harry Potter, e um tanto de escassez de pais, mas não há dúvida de que alguns dos nossos personagens favoritos foram um pouquinho mais longe devido ao apoio de seus pais.


Aqui estão os mais preferíveis patriarcas de Harry Potter.

Lyall Lupin

Sim, você deve estar surpreso ao ver Lyall aqui, visto que foi devido aos seus desafortunados desentendimentos com Fenrir Greyback que Remo Lupin se tornou lobisomem, para começar. Mas este homem amável, que se casou com uma trouxa, passou toda a sua vida buscando a cura para seu filho - e amando-o, apesar do seu pequeno e licantropo problema que ele inadvertidamente causou. Basta dizer que Lyall cometeu um erro atingindo o lado errado de Fenrir, mas nunca deixou de procurar por redenção.

Xenofílio Lovegood


Suas técnicas paternais podem ter sido de alguma maneira ad hoc, mas não há como negar que Xenofílio tenha feito tudo o que podia para ser um bom pai para Luna. Ele a criou, na maior parte do tempo, sozinho, a protegeu dos zonzóbulos, e mesmo que ele realmente tenha levado parafernálias para a casa deles que poderia ter explodido a ambos, ele não teve a intenção, e este é o ponto principal. A traição ao Eleito não é algo que usualmente enfatizaríamos como uma qualidade louvável em um bruxo (é, na verdade, algo bastante desaprovado, exceto por certos Sonserinos), mas a profundidade da sua devoção à sua filha não-usual foi destaque n'As Relíquias da Morte, onde ele sequestrou a próxima captura de Harry em uma tentativa desesperada de salvar Luna.

– É Potter, estou lhes dizendo, é Potter! – soluçou Xenofílio. – Por favor... por favor... me tragam Luna, me devolvam Luna...
– Você terá a sua filhinha, Lovegood – disse Selwyn –, se subir essa escada e me trouxer Harry Potter. Mas, se isto for uma conspiração, se for um truque, se tiver um cúmplice esperando lá em cima para nos atacar, tentaremos guardar um pedacinho de sua filha para você enterrar.
Xenofílio soltou um grito de medo e desespero. Ouviram-se passos apressados e coisas sendo arrastadas: Xenofílio estava tentando passar pelos destroços na escada.
Harry Potter e as Relíquias da Morte

Tiago Potter


Tiago foi privado da sua chance de ser um pai adequado para Harry, morrendo pelas mãos de Voldemort enquanto tentava defender sua esposa e seu pequeno filho. O mero fato do seu auto-sacrifício seria suficiente para incluí-lo nesta lista, mas mesmo depois da morte ele provou ser ele mesmo um guardião devotado a Harry. Apareceu para ele no Espelho de Ojesed, a manifestação do desejo do coração de Harry; emergiu da ponta da varinha de Voldemort e mesmo como uma sombra tentou ajudar seu único descendente vivo a sobreviver; e a Pedra da Ressurreição trouxe-o de volta pela última vez, quando ele deu a Harry a força que precisava para sobreviver à sua última terrível batalha. Mesmo Harry reviraria seus olhos à ideia de que Tiago viveu através dele - mas é verdade, e precisamos apenas olhar para o ódio inabalável de Snape como prova.

Amos Diggory


Nunca houve um pai mais orgulhoso, ou mais irritante, do que Amos Diggory. Cedrico pode ter sido humilde, mas Amos não tinha medo de cantar suas glórias, alto e com orgulho. Seu apoio arrogante a Cedrico foi sua característica determinante, brilhando através de toda palavra exasperante, mas seu coração não poderia evitar desmoronar nos capítulos finais d’O Cálice de Fogo, enquanto ele tomava seu caminho entre a multidão até o corpo morto do seu filho.

– Ced nos falou de você, naturalmente – disse Amos Diggory. – Nos contou tudo sobre a partida que jogaram com vocês no ano passado... Eu disse a ele: Ced, isto vai ser uma história para contar aos seus netos, ah, vai... você derrotou Harry Potter!
Harry não conseguiu pensar em nenhuma resposta a esse comentário, por isso ficou calado. Fred e Jorge amarraram a cara outra vez. Cedrico pareceu ligeiramente encabulado.
– Harry caiu da vassoura, papai – murmurou ele. – Contei a você... foi um acidente...
– É, mas você não caiu, não é mesmo? – rugiu Amos jovialmente, dando uma palmada nas costas do filho. – Sempre modesto, o nosso Ced, sempre cavalheiro... mas venceu o melhor, tenho certeza de que Harry diria o mesmo, não é? Um cai da vassoura, um continua montado, não é preciso ser gênio para saber quem voa melhor!
Harry Potter e o Cálice de Fogo

Arthur Weasley


O melhor pai de que temos notícia no mundo bruxo é o homem que gerou uma ninhada inteira de cabelos flamejantes, sobreviveu a um ataque de cobra, e amou a espécie trouxa enquanto outros bruxos os odiavam. Um passo à frente, Arthur Weasley.

Arthur pode ser um pouquinho desmiolado e um tantinho obcecado pelos trouxas, mas nada disso nunca o impediu de ser o melhor pai que ele poderia ser. Deixando à parte o fato de que ele falhou a notar que seus filhos haviam roubado seu carro voador em mal funcionamento, assim como faziam coisas explodir em seus quartos, Arthur passou toda sua existência trabalhando duro por sua família. É testemunho de seu fantástico paternalismo que ele tenha conseguido emprestar sua semelhança a nada menos que sete irmãos – e nenhum deles se tornou terrível.

... Bem, Percy teve seus momentos.
– Nós temos ideias muito diferentes do que é ser uma vergonha de bruxo, Malfoy.
– Visivelmente – disse o Sr. Malfoy, seus olhos claros desviando-se para o Sr. e Sra. Granger, que observavam apreensivos. – As pessoas com quem você anda, Weasley... e pensei que sua família já tinha batido no fundo do poço...
Ouviu-se uma pancada metálica quando o caldeirão de Gina saiu voando; o Sr. Weasley se atirara sobre o Sr. Malfoy, derrubando-o contra uma prateleira. Dúzias de livros de soletração despencaram com estrondo em sua cabeça; ouviu-se um grito “Pega ele, papai” – dado por Fred e Jorge; a Sra. Weasley gritava “Não, Arthur, não”; a multidão estourou, recuando e derrubando mais prateleiras.
– Senhores, por favor, por favor! – pedia o assistente, e, depois, mais alto que a algazarra reinante. – Vamos parar com isso, cavalheiros, vamos parar com isso...
Harry Potter e a Câmara Secreta 


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.