Header Ads

A Celebration of Harry Potter: Mary GrandPré conversou com a equipe do SnitchSeeker.


O site SnitchSeeker conversou com a ilustradora original dos livros de "Harry Potter" nos EUA, Mary GrandPré, na "Celebration of Harry Potter" deste ano no Universal Orlando Resort's. A artista estava em pé, diante de seu rápido desenho de Harry Potter no estande da Editora Scholastic no Universal Studios Florida, e falou sobre seu processo criativo para a arte de capítulos, suas inspirações, e alguns conselhos para os aspirantes ilustradores.

Veja o vídeo abaixo:


Leia abaixo a tradução da conversa.

SnitchSeeker: Estamos aqui com a grande Mary GrandPré, icônica ilustradora da série de livros de Harry Potter. Então, Mary, como foi, estar na Celebração de Harry Potter pela primeira vez?
Mary GrandPré: Tem sido incrível. Estou admirada ao ver quantas pessoas estão saindo para celebrar Harry e esta nova geração que entrou em cena. É tão legal a maneira como todo mundo está se reunindo. Eu amo isso.

SnitchSeeker: Fale sobre a imagem atrás de você. Com que rapidez conseguiu desenhar isso a partir da memória?
Mary GrandPré: Provavelmente uns cinco minutos de esboço.

SnitchSeeker: É tão natural para você?
Mary GrandPré: Bem, eu desenhei-o algumas vezes, então meio que minha mão vai sozinha.

SnitchSeeker: Você pode nos levar de volta quase 20 anos atrás, quando você começou a ilustrar para "Harry Potter e a Pedra Filosofal", como isso aconteceu? Além disso, sendo apenas uma das primeiras pessoas a ter lido os livros antes do resto do mundo?
Mary GrandPré: Sim, certo! Bem, eu era uma ilustradora freelance - eu ainda sou - e assim eu iria receber telefonemas de diretores de arte como eu normalmente faço. Recebi um telefonema do diretor de arte da Scholastic, David Saylor, e ele apenas me perguntou se eu estava interessada em ilustrar a capa do livro e os títulos dos capítulos. Eu disse: "Sim, eu quero tentar." Então eu li o manuscrito. Gostei, e descobriu-se que haveria três livros - essa projeção acabou por ser sete livros - e então aumentou. Mas ele começou como qualquer trabalho. Nós não sabíamos que seria tão grande.

SnitchSeeker: Então, quem foi o personagem mais fácil de desenhar? E o mais difícil? Fale-nos sobre isso.
Mary GrandPré: O personagem mais fácil... Eu acho que eu teria que dizer Harry porque acho que o conheço melhor do que os outros. Eu sei muito sobre ele. Mas a parte mais difícil de qualquer personagem, porém, é que eu tenho que envelhecer um ano cada vez - especialmente Harry e seus amigos. Essa é provavelmente a coisa mais difícil de se fazer, o processo de envelhecimento. Um personagem difícil... provavelmente Voldemort porque não tínhamos certeza quanto mostrar e como fazer alguém que é mal fosse visto como mal.

SnitchSeeker: Há tanta coisa única em cada capítulo, como você faz o processo de escolher uma imagem específica para cada arte do capítulo?
Mary GrandPré: Isso é difícil. Eu só faço várias notas quando eu leio os capítulos com o meu marcador e escolho as imagens que serão super interessantes, mas não esqueço da história. Então, basta encontrar uma imagem estranha - uma coisa que dará ao leitor uma dica do que se trata o capítulo.

SnitchSeeker: Conte-nos algumas de suas artes de capítulo favoritas que você fez.
Mary GrandPré: Há uma com uma múmia saindo de um armário, que eu me lembro. Há a lareira com todas as cartas disparando. Há Harry e Hermione e Rony de pé com o distintivo de monitor - há algumas coisas emocionais lá. Snape era um dos meus esboços favoritos porque eu adorava desenhá-lo como um personagem. E Voldemort, finalmente, com o capuz e a cobra.

SnitchSeeker: O fandom expandiu quando os últimos três livros saiu, por isso imaginamos que havia muito mais pressão para manter esses segredos específicos, porque você tem que lê-los primeiro. Então você pode falar sobre como você fez isso - manteve o segredo de todos? Fez toda a arte em seu próprio país?
Mary GrandPré: Sim, foi um acordo. Você tinha que concordar em ser realmente reservada e guardar segredos sobre isso, porque era um livro tão importante. Então eu tive que mantê-lo em um cofre em minha casa. Meu marido e filha não me incomodaram. Eles sabiam que era algo muito sério. E eu não falei sobre isso. Eu estava realmente reservada sobre como fazê-lo. Eu trabalhei muito calmamente.

SnitchSeeker: Havia algum personagem; partes de capítulo ou locais que você queria desenhar, mas você nunca chegou perto?
Mary GrandPré: Você sabe, eu realmente não consigo pensar em nenhum. Eu sinto que tive muita liberdade e um monte de escolhas maravilhosas. David e eu trabalhamos juntos, e Arthur Levine, também, para escolher nossas coisas favoritas. Eu realmente não acho que eu ansiava em desenhar qualquer outra coisa.

SnitchSeeker: Que tipo de feedback você recebeu de J.K. Rowling em algum dos livros, se  houve alguma vez?
Mary GrandPré: Ela só me disse que amava e que ela tinha uma escolha na escolha dos ilustradores e ela me escolheu, o que foi realmente doce. Eu acho que ela é apreciativa como eu sou  também de seu trabalho.

SnitchSeeker: Ela já lhe disse qual deles era seu favorito em termos de personagens ou locais ou arte de capítulo?
Mary GrandPré: Ela gosta do Harry. Ela não foi muito específica sobre qualquer outra coisa. 

SnitchSeeker: Há novas versões dos livros com ilustrações diferentes. Como você compara isso com a arte que você fez e como isso expandiu a experiência de Harry Potter para uma nova geração?
Mary GrandPré: Bem, os outros livros de Potter têm capas diferentes. Penso que os nossos se destacam. Todos eles têm a sua própria sensação, o seu próprio olhar. Eu penso que nós fizemos o nosso rico, a mais preciosa das capas. E, em seguida, o outro pensa sobre as coisas, alguns deles seguem essa tendência e alguns decolaram de outras maneiras. Mas o tipo de Harry Potter é que tudo isso se encaixa.

SnitchSeeker: A série de filmes de Harry Potter estava saindo como os livros. Quanta influência eles tiveram ou não têm? Você já se viu subconscientemente desenhando alguém que parecia semelhante aos personagens do filme?
Mary GrandPré: Eu fiz questão de não assistir a nenhum dos filmes até que todos os livros foram feitos. Então eu não vi o primeiro filme até que eu terminei o livro sete.

SnitchSeeker: Que conselho você daria aos aspirantes a artistas?
Mary GrandPré: Para realmente manter-se nisso e continuar desenhando todos os dias, e realmente fazer o tipo de desenho que os faz sentir bem. Ser único e trabalhar duro, e apenas ser verdadeiro com quem eles são como um artista - como eles realmente desenham a partir de dentro deles.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.