Header Ads

Heróis não convencionais do Mundo Bruxo

Remo Lupin e Neville Longbottom são grandes exemplos de que o heroísmo não é sempre o que você imagina. 


Pode-se dizer que o mundo bruxo é um solo fértil para o heroísmo. Seja pelas circunstâncias extraordinárias, acompanhadas da habilidade (e capacidade) em magia; seja pela necessidade, graças à persistente ascensão do mal daqueles que depositam sua fé no poder, personagens muito diferentes do “Menino que Sobreviveu” subverteram nossas expectativas de heroísmo a cada momento. 

É claro que Harry percorreu a jornada heroica como “O Eleito”, mas ele não é o único herói que os livros mencionam. E há diferentes maneiras de demonstrar bravura diante às adversidades. 

A sensibilidade de Newt Scamander 

Tome como exemplo o mais novo herói do Mundo Bruxo, Newt Scamander. Newt não é um personagem forçado a agir por um chamado anormal à aventura. Ele é um Magizoologista em uma missão pessoal de aprender mais sobre seus amados animais fantásticos. Ele não estava tentando entrar no grande cenário político; pelo contrário, ele procurava evitar atenção. 

Enquanto muitos heróis tradicionais são seguros e autoritários, Newt é perspicaz e carinhoso - e até introvertido. Sendo um excluído, ele não é motivado pela coragem e sim pela empatia, um traço que faz dele um herói singular. Apesar de sabermos que Newt pode empunhar sua varinha e enfrentar uma batalha, assim como Dumbledore ou Harry, ele obtém o sucesso através da sensibilidade e gentiliza. 

No primeiro filme de Animais Fantásticos, a grande jornada de Newt foi tanto emocional quanto física. Enquanto trabalhava com Tina, Jacob e Queenie para recapturar suas criaturas mágicas e resolver o mistério, Newt aprendeu a conectar-se com outros humanos em um modo que ele só havia se conectado anteriormente com animais. Não é o tipo de vitória sensacional que seu comum herói de capa ganharia, mas foi um triunfo incrivelmente poderoso para o singelo aluno da Lufa-Lufa. Vai ser interessante ver como essa aventura se desenvolverá... 


Os lentos sacrifícios de Severo Snape 

A trajetória sutil de Snape, de Professor de Poções ameaçador a herói sacrificial, é um dos mais longos enredos em gestação de toda a série Harry Potter, e uma que divide fãs até hoje. 

Snape viveu uma vida de rancor e solidão -traços que certamente não classificaríamos como "heroicos". Mas não há como negar que o maior sacrifício dele foi um grande afastamento de seu antigo e cruel ser. O segredo de seu sucesso como agente duplo foi uma paixão silenciosa que impulsionava seu propósito através do curso de longos anos solitários, durante os quais ele protegeu o filho de seu inimigo, como um tipo de punição auto imposta por ter falhado em salvar seu amor perdido há muito tempo de um terrível destino. É um gesto tão puro e devastador que ganha até mesmo de um drama de Shakespeare. 

A morte de Snape não foi particularmente heroica em seu sentido tradicional. Ele não morreu corajosamente em uma batalha. Ao invés disso, Lord Voldemort somente o matou após uma suposição errada e deixou que Nagini fizesse o trabalho sujo. Sua morte foi especialmente trágica, já que Harry só compreendeu a crise secreta de Snape após sua morte. Esse foi um grande agente infiltrado que não ganhou nenhuma glória desempenhando seu papel na eventual extinção de Voldemort. Ele também ganhou o respeito de Harry, após anos desprezando seu antigo professor. 


O persistente brilhantismo de Hermione Granger 

Hermione certa vez disse a Harry que "livros e inteligência" não eram tão importantes como amizade e bravura. No entanto, livros e inteligência ajudaram um bocado. Apesar de Hermione, sem dúvida, ter feito sua parte na Batalha de Hogwarts, foi seu amor inabalável por aprender e sua infalível habilidade de escapar de uma situação complicada pela força de sua lógica e inteligência que a definiram. 

Além do mais, Hermione raramente não estava em uma missão de ajudar aos outros. Tendo parte fundamental na salvação de Bicuço ou lutando incansavelmente pelos direitos dos elfos, Hermione nunca vacilou em seu trabalho de fazer o mundo um lugar melhor, mesmo quando ela enfrentava a carga horária mais excessiva que Hogwarts já viu. Hermione nos ensinou que não há problema em celebrar sua inteligência - apesar de ser zombada por Rony ou ser chamada de "insuportável sabe-tudo" por Snape. E graças à Merlin ela era tão inteligente - nós nos perguntamos se Harry teria sequer derrotado Voldemort sem sua ajuda. 


O sofrimento silencioso de Remo Lupin 

Um excluído entre bruxos e lobisomens, Remo Lupin foi o herói sofredor que poucos imaginariam. Sua estreia dorminhoca no Expresso de Hogwarts, com suas vestes maltrapilhas e mala maltratada, provocou certas expectativas rapidamente, mas Remo foi tão rápido quanto ao superá-las. Ao derrotar um dementador e logo depois distribuir pedacinhos de chocolate, ele revelou-se não somente como um bruxo valente, mas também piedoso. E apesar da grande parte do mundo bruxo evitá-lo, devido sua condição como lobisomem, Remo era uma figura empática que trouxe muita bondade necessária para a vida de Harry. Ao ensiná-lo de que ele não era fraco por ser afetado pelos dementadores, Remo nos mostrou que bravura pode ser algo bem sutil - e que estava tudo bem Harry reagir da forma que reagiu. 

Depois de lutar contra o preconceito durante maior parte de sua vida adulta, ele ainda obteve sucesso ao se tornar o melhor professor de Defesa Contra as Artes das Trevas que Harry já teve, e um membro incrivelmente valioso da Ordem da Fênix. Remo pode não ter sido enérgico como Olho-Tonto ou Sirius - mas ele usava sua tranquilidade, inteligência e natureza gentil com grande eficácia, apesar de tudo. Sua abordagem mais sensata da guerra bruxa foi muito necessária, já que Harry não era exatamente a pessoa mais calma do mundo.  


O crescimento gradual de Neville Longbottom 

Neville enfrentou sérios problemas em seus primeiros anos como bruxo - até mesmo sua família chegou a se perguntar se ele não seria um aborto(criança filha de pais bruxos que não tem poderes mágicos próprios). Após alguns anos tendo dificuldades na escola, derretendo caldeirões, perdendo seu sapo Trevor e sendo alvo de muitas das piadas do Professor Snape, a transformação de Neville foi inspiradora. Como um aluno do primeiro ano, ele tentou (e falhou) em manter seus amigos na linha. Já no sétimo ano, ele instalou uma discreta rebelião e apanhou a espada de Godric Gryffindor do Chapéu Seletor bem a tempo de liquidar Nagini na Batalha de Hogwarts. Neville gradualmente cresceu em suas habilidades para tornar-se o herói que Hogwarts precisava, exatamente quando precisaram dele. De todos os personagens dos livros, a ascensão de Neville ao topo talvez seja uma das mais surpreendentes. 


A inesperada sabedoria de Luna Lovegood 

A garota que ensinou sobre Zonzóbulos e Narguilés para Harry, Rony e Hermione enquanto usava brincos feitos de rabanetes, definitivamente não nos parece como uma das personagens mais corajosas da série, mas Luna provou que estávamos todos errados. Como Lupin, a abordagem tranquila de Luna com o mundo foi um contraste bem-vindo ao entusiasmo e temperamento quente de Harry- de fato, ela foi a única que o acalmou na sequência da morte de Sirius. A sabedoria etérea de Luna pode não ter sido bem vista por todos, mas sua originalidade e otimismo foram justamente o que precisávamos no meio de uma guerra bruxa. 


Felizmente para Harry, a maioria desses heróis improváveis lançaram seus talentos por trás de sua missão para ajudá-lo a alcançar o que parecia impossível. Ainda esperamos para ver o que vem em seguida para Newt, mas temos certeza de que ele fará tudo de seu próprio jeito.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.