Header Ads

A varinha escolhe mesmo o bruxo?


Você provavelmente está falando “claro que escolhe, isso foi dito lá no primeiro livro e no primeiro filme”. Realmente não podemos negar a afirmativa, então, para deixar as coisas um pouco mais interessantes, colocaremos a pergunta de outra forma: se a varinha escolhe o bruxo, como ela se recusa, muitas vezes, a atender as ordens de seu dono?

A análise que feita aqui se trata de um artigo publicado no Pottermore acerca da lealdade das varinhas, ou, na tradução literal do texto, Quão leal é uma varinha ao feiticeiro(a)? A resposta imediata que temos para isso é do núcleo das varinhas (foi postado um guia definitivo sobre varinhas dividido em três partes que você pode conferir clicando aqui).

Para exemplificar, um núcleo de Fibra de Coração de Dragão é mais disposto a virar-se às artes das trevas enquanto um núcleo de Pelo de Unicórnio age de forma oposta e o núcleo de Pena de Fênix “demora” a se acostumar com seu dono e mostrar seu poder completo. Além do núcleo, a madeira também influencia na lealdade da varinha. Uma varinha de Ébano facilmente fará magias das trevas enquanto uma varinha feita de Nogueira vai escolher apenas bruxos(as) de inteligência superior.

Bom, tendo esses dois aspectos em mente (madeiras e núcleos) e sabendo que a varinha escolhe o dono por sua personalidade e afinidade é possível afirmar que ela pode ser tão imprevisível como ele, chegando a ter quase uma personalidade própria, embora ela não esteja “viva” do modo que pensamos comumente.

No artigo em questão exibido no Pottermore temos o caso de lealdade (ou a falta dela) das varinhas com seus bruxos. Trouxemos alguns para mostrar a dinâmica que as varinhas seguem. Cabe salientar que não existe um conhecimento completo sobre esses objetos mágicos, visto que são imprevisíveis e misteriosos em sua essência.


Harry


A varinha de Harry por vezes “traiu” a lealdade de seu dono, como no momento em que [cuidado, spoilers do livro 4] Winky, a Elfo Doméstica, furta sua varinha e a entrega para Bartô Crouch Jr. conjurar a Marca-Negra durante a Copa Mundial de Quadribol.




Rony


Lembra da primeira varinha de Rony? Talvez você não saiba, ou talvez não leve em consideração tão fortemente, mas ela pertenceu ao Carlinhos! Sim, seu próprio irmão. Ela foi dada de presente quando Rony recebeu sua carta de Hogwarts. A princípio a varinha não recusou fazer magia, funcionava “bem” até o acidente com o Salgueiro Lutador. Enfatizo a aspas do termo “bem”, uma vez que ela não funcionava como deveria - perdendo seu potencial mágico - por ser feita de Freixo, uma madeira que não funciona tão bem quando presenteada a outro bruxo. Seria esse o motivo pelo qual Rony nunca conseguia executar bem os feitiços em seu primeiro ano?




Bellatrix/Hermione


Hermione não conjugou a varinha de Bellatrix durante a batalha na mansão dos Malfoy, entretanto, ela parece não ter recusado totalmente obediência à sua nova dona durante a Batalha de Hogwarts. Há um segundo ‘porém’: a varinha carregava um pouco da sua verdadeira dona, como a própria Hermione diz no segundo filme: “É como se fosse um pedaço dela” (Relíquias da Morte parte 2). 

A teoria que tenho em mente é a seguinte: a varinha era feita de Nogueira (madeira que escolhe bruxos de inteligência superior) com núcleo de fibra de coração de dragão (difícil de domar, mas que muda sua lealdade facilmente), isso fez com que Hermione pudesse executar feitiços sem muitos problemas.




Dumbledore


Não é um caso de traição propriamente dito, mas podemos dizer que a Varinha-das-Varinhas aprendeu com todos seus donos anteriores, tornando-se poderosíssima como a espada de um samurai à medida que passou de mão-em-mão. Vamos lembrar que ela não recusou fazer magias para Voldemort, entretanto, não ofereceu seu poder completo.




Voldemort


Temos aqui duas situações: sua varinha original e a Varinha de Sabugueiro.

1 - A Varinha original de Voldemort, por partilhar um núcleo gêmeo com a varinha de Harry e tendo feita uma conexão com o Priori Incantatem no cemitério no dia do Torneio Tribuxo, passou algumas características para varinha de seu adversário, fazendo com que ela reconhecesse o bruxo das trevas não importasse qual varinha ele usasse, o que explica o fato de nenhuma varinha funcionar contra Harry enquanto ele possuía sua original de Azevinho.




2 - Como sabemos, a Varinhas-das-Varinhas nunca pertenceu ao bruxo das trevas mais poderoso dessa era, mas como falado anteriormente, não recusou totalmente o uso da magia ao bruxo. Sabemos também que sua lealdade restava em Harry, onde prontamente se recusou a mata-lo durante a batalha de Hogwarts no duelo final dos bruxos.


Percorremos todo esse caminho para responder à questão central desta postagem, e você provavelmente já deve ter percebido a resposta: Varinhas possuem personalidades próprias, mas são leais aos seus donos enquanto ainda são seus donos. Elas não vão traí-los, a não ser que exista algum fator que a influencie, como a falta de lealdade de seu próprio dono, acarretando um tipo de ‘decepção’. 

A varinha de Rony nunca poderia ter funcionado bem para ele porque de fato nunca foi dele; Hermione manejou a varinha de Bellatrix, mas podia sentir que ela não queria estar naquela posição; Harry teve suas varinhas utilizadas por outros bruxos, mas no momento que usaram em batalha contra ele, elas falharam miseravelmente.

Em suma, não esqueçamos das sábias palavras de Olivaras “A varinha escolhe o bruxo”. Ainda que outro bruxo a use em alguma situação específica, definitivamente ela jurou lealdade a você naquele momento que te escolheu.




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.